Políticas Brasileiras na Área de Digitalização

ENTIDADES GOVERNAMENTAIS

BNDigital: Desenvolvimento das coleções digitais da Biblioteca Nacional Digital

A missão da Biblioteca Nacional consiste na coleta, tratamento e conservação do patrimônio documental brasileiro em língua portuguesa e sobre o Brasil; bem como assegurar seu estudo, divulgação e as condições para sua disseminação. A conversão de documentos analógicos para formatos digitais propiciou novas formas de acesso às coleções da Biblioteca Nacional, além de contribuir para a preservação das obras originais.

Nesta sequência e em linha com o objetivo estratégico de rever e formalizar a política de seleção para digitalização, este documento visa descrever os eixos prioritários para o desenvolvimento das coleções digitais da Biblioteca Nacional Digital - BNDigital, assim como, estabelecer os processos e critérios de avaliação e seleção de conteúdos a digitalizar.

Parcerias

 

A BNDigital mantém um programa de parcerias com instituições públicas e privadas em âmbito nacional e internacional.

No âmbito nacional essas parcerias são firmadas por meio da Rede da Memória Virtual Brasileira, através de instrumento legal de cooperação.

No âmbito internacional são parceiros da BNDigital a Biblioteca Digital Mundial (World Digital Library), a Gallica, que é a biblioteca nacional digital da França, a Biblioteca Nacional da Argentina e a Biblioteca Digital do Patrimônio Iberoamericano.

Rede de Memória Virtual Brasileira

A Rede da Memória Virtual Brasileira tem a ambição de automatizar e disponibilizar no ciberespaço os acervos de todas as instituições nacionais que disponham de um patrimônio visual ou textual. Se a preservação física de um bem simbólico já assegura a permanência intergeracional de um traço valioso numa cultura consolidada, a memória digital acrescenta a promessa de ampliação do acesso a esse bem. É, por isto, um artefato poderoso de democratização do olhar e do conhecimento.

Coleções da Rede da Memória Virtual Brasileira:

Arquivo Permanente da Divisão Serviço da Hora - Observatório Nacional

Biblioteca do Ministério da Fazenda – RJ

Biblioteca do Senado Federal - Coleção de Obras Raras

Biblioteca Mário de Andrade

Clube de Engenharia – Reserva Técnica

Coleção Cartográfica e Iconográfica Manuscrita do Arquivo Histórico Ultramarino

Escola Nacional de Seguros - ENS

Fundação Cultural de Blumenau

Fundação de Arte de Niterói - FAN

Fundação Oscar Niemeyer

Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Museu D. João VI

Museu Histórico Nacional

Museu Nacional de Belas Artes

Museu Nacional - UFRJ

 

Projeto Reencontro

Arquivo Histórico do Itamaraty

BNDigital - Reencontro

Projeto Resgate

Arquivo Histórico Ultramarino

Ministério da Cultura (MinC) e Cultura Digital:

A adoção dos novos aparatos tecnológicos de transferência e depósito da informação influencia, cada vez mais, os fenômenos culturais contemporâneos. Desde meados do século 20, as inovações das telecomunicações e da computação realizam uma substituição gradual dos sistemas analógicos por sistemas digitais de registro de textos, sons e imagens. Suportes físicos como livros, filmes e discos deixam de ser imprescindíveis para a memória, a expressão e a transmissão do conhecimento, instaurando um novo contexto em que devem ser contempladas pela sociedade e o Estado as questões relacionadas à democratização do acesso e valorização da diversidade.

Atento a esse processo de transformação o Ministério da Cultura lançou em julho de 2009 o Fórum da Cultura Digital Brasileira com o objetivo de agregar em uma plataforma web pessoas e fluxo de conteúdos ligados à construção de políticas públicas e marcos regulatórios para o digital.

MinC anuncia investimentos de quase R$ 9 milhões nas áreas de literatura, bibliotecas e museus em diversos editais abertos, como o Programa Leitura Gera Futuro que prevê investimento de R$ 6 milhões em três editais, voltados para a criação de bibliotecas digitais, a realização de feiras literárias e a publicação de livros com temática relacionada aos 200 anos da Independência do Brasil. No mesmo evento, o ministro e o presidente do Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), Marcelo Araujo, lançaram a 4ª edição do Prêmio de Modernização de Museus, que vai garantir R$ 2,8 milhões em prêmios para iniciativas de modernização e preservação do patrimônio museológico brasileiro.

Cenedom/Ibram

 O Centro Nacional de Estudos e Documentação da Museologia (Cenedom) é uma unidade da Coordenação-Geral de Sistemas de Informação Museal (CGSIM) do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram).

O Cenedom tem como atribuições promover e integrar estudos e pesquisas interdisciplinares voltados às políticas públicas museológicas; constituir coleções de fontes documentais e bibliográficas relevantes para a história da Museologia Brasileira; gerenciar a Política de Desenvolvimento de Coleções Bibliográficas do Ibram; realizar a preservação de todo o acervo do Cenedom bem como da memória técnica institucional do Instituto Brasileiro de Museus e auxiliar a pesquisa de projetos ligados à Museologia Brasileira.

Museusbr – uma nova forma de relacionamento com o Ibram

Em outubro de 2015, o Mapas Culturais – software livre para mapeamento colaborativo e gestão da cultura – foi adotado pelo Sistema Nacional de Informações e Indicadores Culturais (SNIIC). Para o Ibram, isso significou a criação da plataforma Museusbr que, em dezembro de 2015, recebeu as informações coletadas pelo Cadastro Nacional de Museus (CNM), como pesquisas, mapeamento do campo museológico etc.

Museusbr também agrega informações de outras atividades desenvolvidas no âmbito do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), como o Registro de Museus e o Formulário de Visitação Anual (FVA), além outras iniciativas, facilitando o relacionamento dos Museus com o Instituto.

Museusbr: uma nova forma de relaxionamento com o Ibram

Guia dos Museus Brasileiros e Museus em Números

Contato: evaminerva.sp@gmail.com - Site Desenvolvido por Abner A. Nogueira 2019. Fotografia: Bruna Melfa.